10 Coisas que não são de graça na Alemanha

Morando em diferentes países nos acostumamos com diferentes estilos de vida, e morando no Brasil nos acostumamos com certas coisas sendo gratuitas, e ao vir morar na Alemanha tudo isso muda de uma hora para outra!

Aqui separamos 10 coisas que não são gratuitas na Alemanha:

1. Banheiro
A cobrança mais famosa! Seja no shopping center, na rua ou em um restaurante de Fast Food, é muito comum o simples ato de se aliviar ser cobrado. Em grandes estações de trem existem até banheiros super modernos onde você pode pagar até com cartão ou Apple Pay, tudo para ter acesso à um banheiro impecavelmente limpo e jazz suave enquanto faz seu xixi. O método de cobrança varia, às vezes tem o pratinho para “doações”, o que implica a possibilidade de não precisar pagar nada, às vezes pessoas cobrando diretamente de você ou até catracas.

Na Alemanha banheiro tem catracas e o metrô não, é cada uma.

2. Água no restaurante
Em muitos lugares é comum pegar um copo d’água da torneira para acompanhar sua refeição, mas não na Alemanha. Aqui em geral a água vai ser cobrada (e muitas vezes é mais caro q cerveja). Deliciosas águas frescas das montanhas, com ou sem gás, serão oferecidas para acompanhar sua refeição.

Com um pouco de foco e insistência é possível pedir água da torneira, mas isso é mais desafiador do que o esperado.

3. Sacolas plásticas
Os supermercados alemães não dão sacolas plásticas, afinal, os melhores métodos de salvar o mundo da devastação são os que colocam os custos no consumidor final. Diretamente no caixa existem diversas opções de sacolas plásticas grandes, sacolas de papel e bolsas reutilizáveis, com preços que variam entre 15 centavos até 3 euros (mais ou menos). Lojas de roupas também começaram a cobrar por sacolas, como a H&M, C&A, Uniqlo, entre várias outras.

Em nossas jornadas atrás de comidas variadas do mundo notamos que mercados turcos e asiáticos ainda distribuem sacolinhas plásticas sem problemas, mas não sabemos por quanto tempo!

4. Condimentos (Ketchup / Maionese)
Esse item varia bastante e existe 50% de chance de você não pagar extra por condimentos, depende unicamente do estabelecimento. Porém já é algo muito mais comum do que no Brasil, onde condimentos costumam estar na mesa, para serem usados o quanto o cliente quiser!

Em muitos fast foods você vai ser cobrado entre 30 centavos e algo perto de 1 euro pela porção de coisas básicas como Maionese e Ketchup, e em geral eles vem num potinho e não em sachês como é comum no Brasil, o que na verdade é bem mais prático. Odeio ter que sujar as bandejas de maionese, fora que sei lá o quão limpas estão as bandejas.

5. Cachorros (Hundesteuer)
Sim! Cachorros pagam imposto na Alemanha, então já treine seu cão para trabalhar e ajudar nas contas. O chamado ‘Hundesteuer’ é pago por ano e o valor varia de estado para estado. Em Berlim o primeiro amigão custa 120 por ano e cada cão adicional custa 180 euros por ano. A maior parte dos países europeus aboliu o imposto para cães no século XX, mas a Alemanha segue cobrando e apenas em 2017 arrecadou mais de 11 milhões de Euros com ele.

A justificativa antiquada era relacionada ao controle populacional de cachorros, porém hoje ela perdura também como forma de desmotivar pessoas a terem cães considerados “de luta” como Pitbulls e Rottweilers, pois esses cães tem impostos ainda mais caros!

6. Igreja (Kirchensteuer)
Todos que moram na Alemanha e são oficialmente registrados como católicos, protestantes ou judeus pagam um imposto religioso em sua fatura anual de imposto de renda, e o valor é relativamente alto, variando entre 8 a 9% dos seus ganhos! A taxa é cobrada oficialmente pelo equivalente a “receita federal” alemã e distribuída para a fé específica em que a pessoa se registrou.

Quem não quiser pagar o imposto religioso pode deixar a igreja fazendo uma declaração oficial de que está deixando a fé. Para quem está se mudando para a Alemanha vale ficar atento na hora de preencher os formulários de registro (Anmeldung) e solicitação de identificação para pagamento de impostos.

7. Televisão (Rundfunkbeitrag – Contribuição de Radiodifusão)
Todos que moram na Alemanha são obrigados a pagar o imposto da TV alemã. As autoridades responsáveis ​​obtêm seus dados assim que você conclui seu registro (Anmeldung), por isso é quase impossível se esquivar (mesmo que você não tenha uma TV).

O imposto exige que cada residência pague € 17,50 por mês, o valor não é por pessoa ou aparelho de TV, e sim por casa/apartamento. Atualmente é impossível evitar este imposto mesmo que você não tenha uma TV em casa ou não consuma televisão aberta. A cobrança parte do princípio de que todos os lares têm acesso à televisão ou rádio, mesmo que via Smartphones e Computadores. A taxa é justificada com base no fato de que o governo deseja oferecer “uma diversidade de programas de alta qualidade na televisão, no rádio, online e nas bibliotecas de mídia” sem precisar depender de redes comerciais e publicidade.

E fique ligado, esse valor é morto, apenas pela televisão aberta mesmo, se quiser TV a cabo ou Netflix o pagamento é a parte.

8. Casco (Pfand)
Quando você vai ao supermercado e compra cerveja, água e alguns outros tipos de bebida, fique atento ao valor final: o preço da garrafa é separada!

Os valores variam entre 8 centavos para garrafas de vidro escuro (como as de cerveja), passando para 15 nas garrafas de vidro transparente (como Club Mate) e 25 centavos para garrafas plásticas. Mas esse custo pode ser pego de volta, basta retornar as garrafas ao supermercado.

E por último, duas coisas que são de graça, mas não parecem:

9. Carrinho de supermercado
Em praticamente todos os supermercados você vai precisar colocar uma moedinha no carrinho para conseguir utilizá-lo! Você não entrega a moeda a ninguém, apenas encaixa no dispositivo que libera o carrinho.

Por isso essa moeda não precisa necessariamente ser uma moeda válida de euro, uma fichinha no tamanho certo já dá pro gasto e ao terminar suas compras, basta retornar o carrinho e a moeda é liberada em sua mão. Nunca esqueça de levar moedinhas se for fazer compras grandes! Ou olhe pelo lado positivo e pense em como seus braços ficam mais fortes carregando uma cestinha cheia.

Os supermercados não costumam ter um número elevado de funcionários e muito menos alguém destinado para organizar carrinhos. Isso garante que o cliente deixe o carrinho no local correto no final da compra, caso contrário perde sua moeda.

10. Copos de vidro (Pfand)
Muitas pessoas ficam confusas quando comprar vinho quente nas feiras de natal ou cervejas em copos de vidro em eventos e tem que pagar entre 1 e 3 euros a mais pela louça. Assim como o casco das garrafas no supermercado, basta devolver o copo ou caneca para receber seu dinheiro de volta!

Como a maior parte dos eventos costuma ser self-service e não tem funcionários designados para recolher louça, isso garante que as pessoas levem os copos de volta para o local correto elas mesmas, ou até possam levar suas canequinhas natalinas para casa sem peso na consciência, já que estarão pagas.

Comente!